Home / Casa / Dengue; Confirmado mais duas mortes em nosso estado
Clique e Saiba mais

Dengue; Confirmado mais duas mortes em nosso estado

Duas mortes são confirmadas em nosso estado

O boletim semanal da Secretaria da Saúde, que atualiza os números da dengue, confirma mais dois óbitos em Londrina: um homem de 40 anos, morador da zona Leste da cidade, e uma mulher de 63, moradora da zona Sul. São casos autóctones, o que significa que as pessoas contraíram a doença nos locais de residência. O município já tinha outras duas mortes confirmadas no mês passado.

O Paraná registra oficialmente 5 óbitos por dengue. O outro caso, também confirmado em março, é de Cascavel. Além de Londrina, os municípios em alerta para epidemia são Foz do Iguaçu, Cianorte e Jacarezinho. E os municípios com epidemia confirmada são Missal, Anahy, Nova Olímpia e Andirá.

O levantamento da semana tem 561 novos casos no Estado. Agora são 3.114 casos confirmados contra os 2.553 da semana anterior.

Dez municípios apresentaram casos de autoctonia pela primeira vez. São eles Irati, Marmeleiro, Santa Tereza do Oeste, Goioerê, Mamborê, Quinta do Sol, Brasilândia do Sul, Mariluz, Congoinhas, Nova Fátima e São Jerônimo da Serra.

A Secretaria da Saúde segue com as ações de combate à dengue, em parceria com os municípios em todas as regiões. Profissionais que atuam na Vigilância em Guarapuava, Cascavel e Toledo receberam orientações sobre o combate ao mosquito Aedes Eegypti. As recomendações estão sendo retransmitidas para mais profissionais que trabalham em ações de combate nos municípios vizinhos e também para a população.

“Nossa mobilização é permanente com atividades de orientação de combate ao mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zíka vírus em todas as cidades. Estamos orientando os municípios para que intensifiquem os mutirões de limpeza e a busca ativa por novos criadouros e focos”, afirmou Ivana Belmonte, da Divisão de Vigilância Ambiental da Secretaria da Saúde.

Fonte: O Bem Dito

Veja Também

Projeto que acaba com as cotas raciais no ensino superior é contestado pelo MP

Foto: Reuters