Home / Brasil / Paraná – Governador Ratinho Junior prorroga medidas menos restritivas até 1º de abril
Clique e Saiba mais

Paraná – Governador Ratinho Junior prorroga medidas menos restritivas até 1º de abril

Ratinho júnior / Foto: Rodrigo Félix Leal / AEN-PR

No pior momento da pandemia do novo coronavírus no Paraná, o governador Ratinho Junior (PSD) prorrogou as medidas menos restritivas até as 5h de 1º de abril. O decreto foi publicado ontem terça-feira (16). Veja mais abaixo como ficam as restrições.

Entre as restrições que continuarão em vigor estão o toque de recolher entre 20h e 5h e a proibição da venda e do consumo de bebidas alcoólicas em espaços de uso público nesse horário. Aos sábados e domingos, funcionam somente os serviços essenciais.

As medidas são menos restritivas do que as adotadas pelo próprio governo estadual, em 26 de fevereiro, quando o sistema de saúde estava menos pressionado. Até 9 de março, houve restrições como a proibição de atividades não essenciais.

Nesta terça, o estado registrou o maior número de mortes por Covid-19 em um dia, com 310 novos registros. A lotação das UTIs do Sistema Único de Saúde (SUS) para adultos está em 96%. Há fila de 1.357 pessoas esperando por leitos, sendo 641 em UTIs – recorde desde o início da pandemia.

Dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) mostram também que a taxa de transmissão do novo coronavírus no Paraná está em 1,33 – maior número entre todos os estados. Isso indica que a curva está em crescimento.

O anúncio da prorrogação do decreto ocorreu por meio de um texto na agência de notícias do governo, sem entrevista coletiva do governador ou do secretário de Saúde, Beto Preto. No material da agência, Ratinho Junior pediu apoio da população.

“Contamos com o bom senso de toda a população para seguir as restrições impostas pelo decreto, como o toque de recolher e o isolamento social mais intenso aos fins de semana. Ainda não é momento de manter uma rotina normal”, afirmou.

Especialistas ouvidos pelo G1 Paraná antes da publicação do decreto que prorrogou as medidas defenderam a adoção de restrições mais rígidas, assim como ocorreu em Curitiba. Estão proibidos na capital, por exemplo, a abertura da indústria e das atividades não essenciais.

Confira as medidas em vigor até 1º de abril:

  • Serviços não essenciais: poderão abrir, mas devem fechar nos fins de semana;
  • Comércio de rua e galerias e outros estabelecimentos de serviços não essenciais: podem abrir em cidades com mais de 50 mil habitantes, das 10h às 17h, de segunda à sexta-feira, com limitação de 50% da capacidade;
  • Aulas presenciais: suspensas na rede pública estadual;
  • Academias: podem atender das 6h às 20h, de segunda a sexta, com limite de 30% de ocupação;
  • Shoppings: podem abrir das 11h às 20h, de segunda a sexta, com limite de 50% da capacidade;
  • Restaurantes, bares e lanchonetes: podem atender entre 10h e 20h, de segunda a sexta, com limite de capacidade de 50%. Podem atender 24 h e aos fins de semana por modalidade de entrega;
  • Igrejas e atividades religiosas: podem funcionar com até 15% da capacidade;
  • Atividades com aglomeração, cinemas, eventos, museus, festas, reuniões com aglomeração, confraternizações familiares ou de empresas, reuniões, casas de shows e eventos, parques infantis: continuam suspensos;
  • Atividades essenciais como farmácias, supermercados, clínicas médicas: continuam liberadas;
  • Toque de recolher: das 20h às 5h e com proibição da venda de bebidas alcoólicas neste horário.

Segundo o governo, haverá fiscalização mais intensa das forças policiais até o dia 31 de março.

Fonte: G1/PR

Veja Também

Curitiba – Guarda Municipal fecha festa com aglomeração de cerca de 200 pessoas

Festa com cerca de 200 pessoas foi fechada, em Curitiba / Foto: Arquivo pessoal