Home / Eventos / Festa Gremista: Ídolos do Grêmio Mazzaropi e Galatto estarão em Palotina-PR neste domingo (11)
Clique e Saiba mais

Festa Gremista: Ídolos do Grêmio Mazzaropi e Galatto estarão em Palotina-PR neste domingo (11)

thumbnail_cartaz-almoco
Festa Gremista dia 11 de setembro / Banner: Divulgação

Palotina – O Consulado do Grêmio de Palotina estará realizando no próximo domingo, dia 11 de setembro, a partir das 10h30, a Festa Gremista, com um almoço festivo entre os torcedores de Palotina e região para comemorar os 113 anos de fundação do Grêmio FBPA. O evento que acontecerá na Asfuca – Associação dos Funcionários da C.Vale terá diversas atrações, com destaque para as presenças de dois ídolos do Imortal Tricolor, do goleiro Mazzaropi, campeão mundial pelo Grêmio e de Galatto, o goleiro herói da Batalha dos Aflitos.

Durante o evento será feito o sorteio de uma camisa oficial do clube, autografada pelos jogadores atuais, através de uma rifa.

Ingressos – Os ingressos podem ser adquiridos com integrantes do Consulado e também na Nova Rádio Cultura, Palotina Esportes, Farmácia São Vicente Pallotti, Viccari Esportes e Renova Tintas pelo valor de R$ 40,00. A venda dos ingressos será até hoje, dia 9, às 18h. Maiores informações pelos telefones números (44) 9984-9524 ou 3649-4187.

Apoio: Dallas Hotel, Jornal Folha da Terra, Palotina Esportes, Adiprime – Uniformes e Brindes, Petra Revest, Pro Arquitetura e Engenharia, PCA Materiais Elétricos, Reciclados Interlagos, Farmácia São Vicente Pallotti, Academia I9, Nova Rádio Cultura, Viccari Esportes, Líder Locação, Laticínios La-Salle, Impacto Arte Visual, Oeste TI Informática, Tapeçaria Gaúcha, Santa Rita – Laboratório de Análises Clinicas e Rádio Continental.

Solidariedade – Na oportunidade uma ação em prol do CARTA estará acontecendo, as pessoas que tiverem interesse em colaborar com a entidade poderão levar 1kg de alimento não perecível que será revertido para o CARTA.

Goleiro Galatto, herói da Batalha dos Aflitos

Goleiro Mazzaropi, campeão Mundial em 1983

História da Batalha dos Aflitos

Há cerca de dez anos, a equipe do Grêmio Futebol Porto-Alegrense saia de um dos momentos mais difíceis de forma heroica e que jamais tinha sido vista no futebol brasileiro. Na partida final contra o Náutico no Estádio dos Aflitos em um sábado, 26 de novembro de 2005, em que a equipe gaúcha precisava vencer, tudo aconteceu de forma inacreditável. Em um ambiente adverso e com sete jogadores, o tricolor venceu por 1 a 0, se tornou campeão da Segunda Divisão e retornou ao Brasileirão.

O Grêmio precisava vencer o Náutico, mesmo estando em primeiro lugar com 9 pontos. No outro jogo do dia, o Santa Cruz enfrentaria a Portuguesa também por busca à ascensão para a Primeirona, também em Recife. Quem vencesse, subiria. Para o tricolor, que estava em delicada situação financeira naquele ano, uma falha poderia significar a falência do clube, que tinha perdido apoios com o descenso.

O empate bastava para o Grêmio. Mas a pressão do Náutico era enorme. Aos 30 minutos, o primeiro pênalti foi marcado. Bruno Carvalho bateu, mas a bola foi na trave. E a pressão seguia, até que aos 35 minutos, o lance polêmico que colocou todos à beira de um ataque de nervos. O árbitro Djalma Beltrami marcou um pênalti inexistente quando a bola bateu no braço do defensor Nunes, do Grêmio. O nervosismo que já era grande, piorou quando Patrício e Nunes foram para cima do árbitro, foram expulsos e a Polícia entrou em campo. O jogo ficou vinte minutos parado, até que os ânimos se acalmassem. Qualquer decisão precipitada poderia encerrar a partida cedo e levar a decisão para a justiça, coisa que o Grêmio não desejaria naquele momento.

Na retomada do jogo, por volta das 18h26, Ademar, do Náutico, foi escolhido para bater o pênalti. Aí, o destino se encarregou de ajudar o Grêmio: que tinha permanecido afastado das confusões, caiu no canto direito e defendeu a cobrança do pernambucano. No escanteio, o Grêmio conseguiu afastar a bola e o atacante Anderson (hoje no Internacional), armou o contra-ataque e foi derrubado por Batata, que acabou expulso. De forma surpreendente, Anderson disparou, superando uma defesa atônita do Náutico e marcou o gol da vitória, calando o Estádio todo.

Este momento foi chamado de “71 segundos”, porque foi o tempo que levou do pênalti defendido até o gol tricolor. Além da vitória, o Grêmio conquistava o título, terminando com 12 pontos, à frente do Santa Cruz, que já comemorava no Estádio do Arruda.

Para os gremistas, é um momento histórico, principalmente pela forma que ocorreu, simbolizando a reversão de uma adversidade considerada perdida.

Banner eletricista cordeiro amarelo com whatsapp-800-ok

Fonte: Folha da Terra/Caderno 7

Veja Também

Entre Rios do Oeste – Idoso cai no golpe do ‘nudes’ por três vezes e perde R$ 45 mil

Cidade de Entre Rios do Oeste / Foto: Reprodução Google